Mercados obrigacionistas acalmam antes reunião BCE, analistas vêem possibilidade de desapontamento


© Reuters.

AMESTERDÃO, 29 Out (Reuters) – As ‘yields’ das obrigações alemãs mantiveram-se perto dos mínimos de sete meses na quinta-feira à medida que os mercados estabilizaram após os ‘lockdowns’ em França e na Alemanha terem atingido os activos de risco, mas os analistas viram uma ameaça de desapontamento do mercado por parte da reunião do Banco Central Europeu no dia de hoje.

França e Alemanha ordenaram aos seus países que voltassem ao confinamento na quarta-feira, causando uma venda nos mercados bolsistas mundiais, o que também atingiu as obrigações do governo italiano.

O rendimento a 10 anos da Alemanha aumentou 1 ponto base no início da quinta-feira a -0,62%, ainda perto do seu ponto mais baixo desde Março a -0,646%, que atingiu na quarta-feira.

O rendimento das obrigações italianas a 10 anos aumentou 1 ponto base para 0,78%

As obrigações gregas, com notação de “junk” e elegíveis apenas para a compra de obrigações de emergência do BCE, foram a excepção. A ‘yield’ a 10 anos subiu para o seu máximo em quase um mês, a 1,084%. .

A maioria dos participantes no mercado não espera qualquer mudança de política na reunião do BCE, mas estarão atentos às mensagens do banco central, à procura de sinais de que é provável que este expanda o seu programa pandémico de compra de obrigações de emergência, que a maioria dos investidores espera em Dezembro.

Texto integral em inglês: (Por Yoruk Bahceli; Traduzido para português por Patrícia Vicente Rua)