O HSBC prevê um segundo semestre de expansão e recomenda a revisão da carteira


© Reuters.

Por Laura Sanchez

 

Investing.com – O HSBC (LON:) Asset Management aponta para uma grande mudança na macroeconomia. No seu relatório de perspetivas a meio do ano, acedido pela CNBC, o banco britânico recomenda aos investidores que se preparem para um ciclo económico que passará da recuperação para a expansão, trazendo um período de menor retorno do investimento e uma mudança para a política fiscal.

O PIB recuperou das consequências do “efeito Covid” nos EUA, China e em toda a indústria na Ásia e os lucros das empresas estão a sofrer uma recuperação em forma de V, com expectativas de lucro para 2022 agora à frente das previsões pré-Covid.

“Após um período em que o crescente otimismo dos investidores reduziu as perceções de risco e revalorizou as classes de ativos de risco, a perspetiva é agora a inversa”, observa Joseph Little, estratega chefe global do HSBC. “Cada vez mais, as valorizações tornar-se-ão um entrave aos retornos, uma vez que muitas boas notícias sobre a recuperação já foram tidas em conta nos preços”.

“Favorecemos os mercados cíclicos como o Reino Unido e a Europa, bem como os mercados emergentes”, explica Little.

“O risco cíclico negativo é americano, o que é particularmente importante para a nossa estratégia que favorece as ações internacionais e as obrigações dos mercados emergentes”, acrescenta.

Cobre e minerais como o urânio e metais de terras raras também são atrativos, diz o HSBC.