‘Yields’ obrigações alemãs em mínimos de sete meses com aumento casos COVID-19


© Reuters.

LONDRES, 15 Out (Reuters) – As ‘yields’ das obrigações do governo alemão caíram para mínimos de sete meses na quinta-feira, com o aumento dos casos de coronavírus na Europa a suscitar preocupações sobre novos ‘lockdowns’ que dariam mais um golpe na economia da zona euro em dificuldades .

França impôs recolher obrigatório enquanto outras nações europeias estão a fechar escolas, cancelando cirurgias e alistando estudantes médicos, enquanto as autoridades esmagadas enfrentam o cenário de pesadelo de um ressurgimento da COVID-19 no início do Inverno.

No Reino Unido, o governo do primeiro-ministro Boris Johnson pode impor, na quinta-feira, confinamentos mais apertados à COVID-19 em Londres e no norte de Inglaterra.

“A perspectiva de ‘lockdowns’ mais localizados prejudica a actividade económica que já está em dificuldades e isso pesa nos mercados obrigacionistas”, disse Justin Onuekwusi, gestor de carteiras da Legal & General Investment Management.

As ‘yields’ das obrigações do Tesouro alemãs com vencimento a 10 anos caíram mais de 5 pontos base para -0,627%, o valor mais baixo desde meados de Março. Caíram quase 10 pontos base esta semana.

A subida da dívida pública do centro da Europa espalhou-se por outros mercados obrigacionistas como França e Bélgica, onde as ‘yields’ também caíram para níveis mais baixos desde Março, à medida que as autoridades se preparavam para fechar partes das suas economias.

(Por Saikat Chatterjee; Traduzido para português por Patrícia Vicente Rua)