‘Yields’ obrigações italianas a caminho maior queda semanal desde Outubro graças a Draghi


© Reuters.

MILÃO, 5 Fev (Reuters) – As ‘yields’ das obrigações italianas a 10 anos caíram para mais mínimos de mais de três semanas sa Sexta-feira, marcando o maior declínio semanal desde Outubro, quando o antigo presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, iniciou conversações sobre a formação de um novo governo e o tom dos mercados mundiais permaneceu optimista.

O comércio nos mercados de dívida da zona euro foi geralmente moderado antes dos dados da folha de pagamentos dos EUA, que vencem às 1330 GMT. As acções globais foram negociadas perto de máximos históricos na sexta-feira, uma vez que o progresso na distribuição de vacinas levou a que se apostasse numa maior normalização.

Este cenário impulsionou o sentimento em relação aos activos de risco, tais como as obrigações europeias periféricas, com a Itália a terminar a semana com uma nota alta na sequência dos desenvolvimentos políticos desta semana.

Draghi, com um mandato para formar um novo governo italiano, iniciou as conversações na quinta-feira como o maior partido no parlamento, o Movimento 5-Estrelas, suavizou a sua hostilidade inicial à sua nomeação.

O rendimento das obrigações italianas a 10 anos caiu quase 2 pontos base para 0,543%, o seu nível mais baixo desde 11 de Janeiro. Desceu quase 11 pontos base esta semana e está a caminho da maior queda semanal desde Outubro.

A diferença entre os rendimentos das obrigações alemãs e italianas a 10 anos foi negociada a 99,5 pontos base, tendo caído na quinta-feira abaixo dos 100 pontos base pela primeira vez desde meados de Janeiro .

Texto integral em inglês: (Por Sara Rossi (SA:); Traduzido para português por Patrícia Vicente Rua)