‘Yields’ obrigações italianas caem, mas caminham para a maior subida semanal desde Outubro


© Reuters.

AMESTERDÃO, 15 Jan (Reuters) – As obrigações italianas mostraram alguma recuperação na sexta-feira à medida que as ‘yields’ baixaram, mas os custos de financiamento foram fixados para o seu maior aumento semanal em 12 semanas, uma vez que o foco continua a ser a incerteza do governo em Roma.

O primeiro-ministro italiano Giuseppe Conte resistiu aos apelos à demissão na quinta-feira, após um partido de coligação júnior liderado pelo antigo primeiro-ministro Matteo Renzi se ter retirado do governo na quarta-feira e o ter destituído da sua maioria.

Em vez disso, Conte sinalizou que queria levar a sua luta pela sobrevivência ao Parlamento, com os seus principais parceiros de coligação a apoiarem planos para tentar encontrar apoio entre as fileiras da oposição para apoiar a administração.

Dirigir-se-á à Câmara dos Deputados italiana na segunda-feira, seguida de um voto de confiança esperado para indicar se pode continuar a lutar.

Renzi disse ao diário italiano La Stampa que não acredita que a Conte tenha o apoio para ganhar uma votação de confiança agendada para a próxima semana.

Na sexta-feira, o mercado obrigacionista italiano estava pronto para terminar a semana mais calmo, uma vez que os rendimentos das obrigações a 10 anos caíram 2 pontos base em 0,59% no início do comércio.

Texto integral em inglês: Yoruk Bahceli; Traduzido para português por Patrícia Vicente Rua)